Prefeitura Municipal de Canela

Secretaria de Saúde engajada na campanha que celebra os 30 anos do Dia Mundial de Luta contra a Aids

28/11/2018

Há 30 anos, aids era sinônimo de morte. O preconceito e o medo eram transmitidos com a mesma rapidez do HIV. Na luta contra a aids, um dos gestos mais simbólicos foi o ato de tecer colchas (quilts) para manter viva a memória das vítimas. Em 1988, foi criado o Dia Mundial de Luta contra a Aids. O 1º de dezembro se tornou um marco na resposta global à epidemia. Hoje é possível viver com HIV. O diagnóstico e o tratamento evoluíram. Os efeitos colaterais dos medicamentos foram reduzidos. Além da camisinha, existem novas estratégias de prevenção.

Essa história continua e o Ministério da Saúde lançou neste ano a campanha “30 anos do Dia Mundial de Luta contra a Aids – Uma Bandeira de Histórias e Conquistas”.

Em Canela, a Secretaria de Saúde realiza durante todo o mês de dezembro, ações de prevenção do HIV/AIDS, onde as unidades de saúde e Caps realizam os testes rápidos para diagnóstico de HIV, Sífilis Hepatites B e C.

SAE REALIZA AÇÃO NA PRAÇA

O Serviço de Atendimento Especializado – SAE Hortênsias estará na sexta-feira (30), na Praça João Corrêa, na parte da manhã, distribuindo folhetos informativos em alusão ao combate mundial da doença.

HISTÓRICO

Em 1987, durante a terceira Conferência Internacional de Aids em Washington (EUA), 200 mil pessoas participaram do lado de fora do evento. Eram ativistas, pessoas vivendo com o vírus que queriam ser ouvidas pela comunidade científica e pelo mundo. Porque, para esses ativistas, naquele momento em que não havia tratamento, o silêncio era uma forma de morte. Por esse motivo, por iniciativa da ONG americana ACT UP, formou-se um grande mosaico de colchas (quilts) em frente ao Capitólio para lembrar e homenagear vítimas da aids. Era um forma de protesto e de reafirmar a luta pela vida.

No ano seguinte, por iniciativa de dois oficiais de informação pública da Organização Mundial de Saúde, James Bunn e Thomas Netter, foi proposto a criação do Dia Mundial de Luta contra Aids. A ideia foi levada ao então diretor do Programa Global sobre Aids (atual UNAIDS), Jonathan Mann, como uma forma de combater o preconceito e a desinformação que ainda havia em torno do tema. A iniciativa vingou e até o hoje o Primeiro de Dezembro é marcado em todo o mundo como a data para o combate ao preconceito e ao estigma em torno da doença.

AIDS NO BRASIL

O tempo passou e hoje é possível viver com o HIV, mas a aids ainda é uma realidade. Atualmente, 75% das pessoas vivem com o vírus e conhecem seu estado sorológico. A meta da ONU é garantir que até 2020 esse número chegue a 90%, e desses, pelo menos 90% dessas pessoas recebam tratamento e entre os que recebem tratamento,  90% tornem indectáveis – estado em que a pessoa não transmite o vírus e consegue manter qualidade de vida sem manifestar os sintomas da aids.

No Brasil, 92% das pessoas em tratamento já atingiram esse estado de estarem indetectáveis. Essa conquista, se deve ao fortalecimento das ações do Ministério da Saúde, por meio do DIAHV, para ampliar a oferta do melhor tratamento disponível para o HIV. Exemplo disso, é que o país incorporou o dolutegravir como medicamento de primeira linha para tratar os pacientes.

Acesse aids.gov.br e saiba mais sobre a aids e suas formas de prevenção e tratamento.

Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV

Fonte: Ministério da Saúde

Last modified: 28/11/2018

Comments are closed.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support