Prefeitura Municipal de Canela

Semana Farroupilha será coordenada  pela Secretaria de Turismo e Cultura

28/08/2017

A Semana Farroupilha de Canela deste ano está a cargo do Departamento de Cultura da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura (Setur), coordenado por Tiago Melo, com o auxílio da servidora Nicole Pereira. O tradicionalista e jornalista Márcio Cavalli foi convidado para ser o curador do evento, atuando pelo Departamento de Tradição e Folclore da Fundação Cultural de Canela. A programação será concentrada na Praça João Corrêa, onde será montado o Galpão da Acolhida. Para as apresentações no Multipalco, estão confirmados as seguintes bandas e artistas: Grupo Cordiona, Tchê Guri, Grupo Querência e Walther Morais.
O período também reserva atividades das mais variadas, como palestras, oficinas (de culinária, de nós de lenço, de encilha e de brinquedos de antigamente), Cinema Gaúcho, teatro de bonecos, apresentações artísticas do CTG Querência e dos DTG’s das escolas, além de concurso de vaca parada. O CTG Querência de Canela entra como apoiador do evento e as invernadas da entidade farão apresentações de danças. Na praça também serão montadas tendas nas quais serão comercializados pratos típicos como arroz de carreteiro, salsichão com pão, arroz-doce, entre outras iguarias da culinária regionalista gaúcha. “A proposta foi pensar num evento variado, com atividades diversas, que inclua tradicionalistas, comunidade e visitantes”, diz o diretor do Departamento de Cultura da Setur, Tiago Melo.

RONDA CRIOULA E DESFILE
A entidade tradicionalista será responsável por promover com os piquetes de laçadores do município a Ronda Crioula, de 7 a 13 de setembro e o Desfile Farroupilha no dia 20 de setembro. A programação está sendo finalizada para ser divulgada à comunidade. Na Ronda, o guardião da Chama Crioula será Rafael Zanatta (Dé).

PAIXÃO CÔRTES
A Semana Farroupilha de Canela terá tema próprio: 90 Anos de Paixão pelo Rio Grande, de modo a homenagear o homem que, com Barbosa Lessa, foi responsável em resgatar aspectos do gaúcho de antigamente. “Isso fez com que nós, no presente, repetíssemos usos e costumes num culto chamado de tradição. Não há outro momento para fazer essa homenagem, que é mais do que merecida. O Paixão completou 90 anos em julho e, se não fosse por ele, nem a dança do pezinho conheceríamos hoje – talvez nem a bombacha. Vimos a hipótese de trazer o Paixão a Canela, mas ele tem enfrentado problemas sérios de saúde pela idade”, comenta Márcio Cavalli.

Foto: Márcio Cavalli/Divulgação

Last modified: 20/11/2017

Comments are closed.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support